domingo, 19 de janeiro de 2020

Doador Universal - Mito ou Verdade?

Olá pessoal...
Fizemos uma enquete no nosso Instagram (Instagram.com/biomedicosgenteboa) com a seguinte pergunta: Existe Doador Universal?
79% responderam SIM
21% responderam NÃO

Então, respondendo a pergunta...
NÃO EXISTE DOADOR UNIVERSAL 

Ah, mas me falaram que tem sim! Ah, mas eu doo sangue e sou! Ah, mas o O negativo é o que então? Ah, meu professor falou que tem e pode provar! Etc...

Essas são algumas das frases que escutei. É aceitável tais questionamento quando feitos por pessoas que não são da área da saúde, mas alunos e profissionais da saúde devem entender como isso funciona.

Conceito de Doador Universal: pessoa de um determinado grupo sanguíneo que pode fornecer qualquer hemocomponente para qualquer pessoa.

Conceito de Doação de Sangue: ato de fornecer hemocomponentes para transfusão em pacientes que necessitem de tal hemocomponente para manutenção da vida.

Conceito de hemocomponentes: partes do sangue que são separadas após a doação e direcionadas para estoque em bancos de sangue. Exemplo: Concentrado de Hemácias, Concentrado de Plaquetas, Plasma Fresco Congelado, etc.

Então vamos para a explicação:
Quando um Doador procura o serviço de hemoterapia para realizar a doação, são realizados alguns procedimentos de segurança, como entrevista e determinação do hematócrito (em alguns casos).
É coleta uma bolsa de sangue total, em torno de 500g de material, após isso essa bolsa vai para a fase de fracionamento, onde o sangue é separado por centrifugação em Concentrado de Hemacias e em Plasma Fresco - PFC (que será congelado), em algumas situação, também é separado as plaquetas e outros componentes como crioprecipitados...
Então até aqui o sangue já foi separado em 3 partes...
O concentrado de hemácias segue uma ordem de recepção para ABO e Rh, o PFC segue outra regra e plaquetas segue outra regra.

Vamos ao exemplo do O Negativo:
O Doador O negativo terão suas hemacias O negativo podendo ser recebidas por todos os grupos sanguíneos, mas o seu PFC (que contém Anti A e Anti B) não podem ser recebidas por grupo A, B ou AB, suas plaquetas também não serão recebidas por A, B ou AB.
Ou seja, seu hemocomponentes não podem ser recebidos por todos, então não é um Doador Universal.

Vamos ao exemplo do AB Positivo:
O Doador AB positivo terão suas hemacias AB positivo podendo ser recebidas apenas pelo AB positivo, mas o seu PFC que não tem Anti A e nem Anti B podem ser recebidos por qualquer pessoa independente de seu grupo sanguíneo e suas plaquetas são recebidas por pacientes do grupo AB.

Assim fica fácil entender que não tem como ter um Doador Universal, pois não existe nenhum indivíduo que pode doar todos os seus hemocomponentes para qualquer pessoa, independente do seu grupo ABO e Rh.

Como surgiu esse termo?
Antigamente a transfusão de sangue era feito diretamente retirando sangue de uma pessoa e já colocando em outra. Acontecia que quando o Doador era O negativo, a taxa de mortalidade era menor (morria menos pessoas). Mas lembre que uma pessoa AB recebendo o sangue total de um O, recebia junto uma descarga de Anticorpos Anti A e Anti B...

E aí? Ainda acredita no Conto do Doador Universal?



1 comentários:

Victória Ferreira disse...

Nossa, que interessante. Em relação a esse conteúdo sobre doador universal, eu particularmente tinha algumas dúvidas, mas hoje eu posso dizer que todas elas foram esclarecidas!

Postar um comentário

 
Design by Free Wordpress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Templates